REFLETINDO SOBRE O STRESS
Data: 07/07/2012

A expressiva mudança em todos os níveis da sociedade moderna e a necessidade imperiosa de se ajustar a tais mudanças, alojou o ser humano a uma freqüente situação de conflito, ansiedade, angústia e desestabilização emocional, exigindo uma grande capacidade de adaptação física, mental e social. O ser humano, para ter da saúde e viver feliz, precisará ajustar-se a este mundo, perpetuamente em processo de modificação.
A percepção e reação aos acontecimentos diários determinam a reação final do indivíduo frente às diversas situações da vida, o que sugere que não é a situação em si que leva ao stress, mas a reação que se tem frente a ela e o modo de percebê-la, lidar com ela.
As emoções precisam ser equilibradas e não eliminadas, respeitando o valor de cada sentimento. Quando as emoções não são expressas, causam dor e infelicidade, mas se são descontroladas tornam-se patológicas, como nos casos de desencadeamento de depressão, a ansiedade, a raiva, etc. O controle das emoções perturbadoras é a chave do equilíbrio emocional.
Viver com qualidade e ter qualidade de vida é um assunto que tem sido alvo da preocupação humana. Conciliar trabalho e vida pessoal ainda é um dos maiores desafios, em face às muitas exigências do mundo moderno.
O ser humano não pode ser colocado no mesmo patamar que as máquinas para a execução de um trabalho. O lazer, o descanso, as atividades prazerosas são primordiais para a manutenção da qualidade de vida e da saúde.
A preocupação com a qualidade de vida vem se tornando um ponto crucial nas organizações, porque talvez o ambiente de trabalho tenha se modificado e acompanhado o avanço das tecnologias com maior velocidade do que a capacidade de adaptação dos colaboradores. Os profissionais vivem hoje sob contínua tensão, não só no ambiente de trabalho, como também na vida pessoal.
O mundo atual apresenta enormes exigências, profundas e rápidas mudanças, novos caminhos, muitas contradições, poucas certezas, avanços tecnológicos, aumento da competição, dificuldades do dia-a-dia, novas e diferentes maneiras de pensar, agir e ser. Há, portanto, uma ampla área da vida moderna onde se misturam os estressores do trabalho e da vida cotidiana.
O ser humano, além das habituais responsabilidades ocupacionais, alta competitividade exigida pelas empresas e necessidades de aprendizado constante, tem que lidar com os estressores normais da vida em sociedade, tais como a segurança social, a manutenção da família, as exigências sociais, etc. e quando esses novos desafios superam os limites adaptativos, pode desenvolver maiores índices de stress. A vulnerabilidade individual e a capacidade de adaptação são muito importantes na ocorrência e na gravidade das reações ao processo de stress.

O desenvolvimento do processo de stress depende tanto da personalidade do indivíduo quanto do estado de saúde em que este se encontra (equilíbrio orgânico e mental), por isso nem todos desenvolvem o mesmo tipo de resposta diante dos mesmos estímulos. Estilo de vida, experiências passadas, atitudes, crenças, valores e comportamentos são fatores importantes no desenvolvimento do processo de stress em cada indivíduo.

A ISMA – International Stress Management Association é uma associação sem fins lucrativos, e a única com caráter internacional, direcionada à pesquisa e desenvolvimento da prevenção e tratamento de stress no mundo. A inclusão do Brasil como 12º país participante da ISMA foi um importante passo para a melhoria da qualidade no tratamento de stress no Brasil.


Luciane Ruis



Clique aqui para fechar esta página